01 janeiro 2008

Produção áudio visual e a importância no processo ensino e aprendizagem

Para atuar desta forma, o professor precisa estar preparado no sentido de compatibilizar no seu planejamento, os conteúdos curriculares e a incorporação das tecnologias, agregando-os à realidade da escola. Deve considerar que a integração com as mídias não acontece de forma espontânea, mas de um grande envolvimento coletivo. O professor precisa conhecer as especificidades e as implicações das tecnologias no contexto escolar para que possa orientar sobre o seu uso no processo de ensino e aprendizagem, de forma significativa e adequada. Permitir aos alunos a possibilidade de usá-las e produzi-las, implica repensar a formação do professor e dos gestores, para que juntos possam efetivamente vivenciar uma aprendizagem com sentido mobilizador e enriquecedor no seu potencial cognitivo, afetivo e criativo.
Por esta razão, é preciso que o professor entenda da produção áudio visual, suas po-tencialidades e restrições para poder criar estratégias pedagógicas que contemplem o uso da tecnologia numa perspectiva que propicie, a autoria, pelos alunos. Para ser compreendido, o aluno precisa buscar caminhos, usar diferentes fontes de informações como livros, revistas, jornais, publicações na Internet, filmagens, fotos, imagens, contato por e-mail, software de referência e programas educativos de televisão. E para essa busca é preciso ter planejamento, clareza de objetivos, saber fazer escolhas com critérios e tomar decisões que possam representar o consenso de um trabalho de grupo, avaliando e refletindo sobre as etapas do processo. As mudanças de concepção que orientam as novas formas de aprender e de ensinar, como os trabalhos de produção áudio visual remetem a uma perspectiva integradora de conteúdos e de diferentes mídias, e requer a formação do professor. O importante é que tanto a formação do professor quanto sua atuação com os alunos propiciem a vivência dos aprendizes nessa mesma perspectiva de aprendizagem, ou seja, desenvolvendo projetos que articulem conteúdos das diversas áreas de conhecimento com distintas mídias, de acordo com as características que lhes são inerentes.
(Texto extraido do Boletim Informativo "Cultura na Rede" em Programas e projetos no site http://www.sed.sc.gov.br/)

2 comentários:

Profe Elis disse...

Muito propícias suas considerações Luiz. As novas tecnologias na escola representam uma grande revolução nas formas de ensinar e aprender, mas por si só não garantem avanços qualitativos. Se o professor não estiver consciente da utilização e da importância destas ferramentas computacionais ou de quaisquer outras mídias na educação tudo isso não passará de um verniz de modernidade camuflando práticas tradicionais de ensino. O professor é e será sempre a peça fundamental em se tratando do ofício de educar. O computador pode nunca ter dor de cabeça, nunca estar esgotado e dificilmente erra, mas o o cérebro do professor é infinitamnete superior em complexidade ao melhor computador, porque é o único que tem sensibilidade e ainda é capaz de surpreender.
Parabéns pelo trabalho e pela qualidade dos seus textos. Acho que vou ser leitora assídua.

Luiz N.Vieira disse...

Elis como sempre contribuindo de forma acentuada, suas considerações são importantes pra nossa caminhada!
Abraços. Volte sempre
Luiz