26 maio 2009

A SALA INFORMATIZADA NO CONTEXTO ESCOLAR



Na escola o uso da tecnologia não deve estar fundamentado na possível modernidade que isso possa representar, mas nas contribuições reais que pode trazer para o processo de ensino-aprendizagem. Não basta ter computador na escola, é necessário que seja utilizado de maneira pedagógica, contínua e sistemática. É preciso que o uso esteja vinculado à aprendizagem e ao desenvolvimento de competências básicas, seja no domínio do próprio equipamento, seja no domínio do conhecimento historicamente produzido pela humanidade.
Quando falamos em tecnologia lembramos logo do computador. Embora não seja o único recurso de TICs, o computador tem sido o maior representante da categoria, até porque integra várias mídias. A riqueza pedagógica que o uso do computador proporciona vai além da facilidade de acesso à informação mesmo sendo esta inegável. O valor pedagógico está na possibilidade de produção que o computador e as tecnologias agregadas a ele oferecem. O aluno pode digitar um texto de sua própria autoria; criar uma planilha e gráficos com os dados por ele pesquisados; organizar os conceitos adquiridos numa apresentação multimídia; montar um clip; produzir seu próprio programa radiofônico e disponibilizá-lo como PodCas
[1], publicar sua página na Internet através de um blog
[2] ou Wiki
[3], são atividades pedagógicas que proporcionam aprendizagens verdadeiramente significativas.
Mesmo nas atividades em que a autoria não esteja diretamente presente, o computador ligado na rede pode trazer grandes contribuições. Uma entrevista com determinada pessoa, como o escritor do livro lido pela turma, por exemplo, muitas vezes inviável se pensada em termos presenciais pode ser possível via Internet. O intercâmbio com alunos de outras escolas, de outras regiões e até de outros países pode proporcionar troca de experiências, conhecimento de diferentes realidades e até exercitar a comunicação em outra língua. Aprender, transmitir saberes e produzir conhecimentos através do computador e da rede mundial de computadores, a Web, tem nos permitido ampliar, exteriorizar e alterar muitas funções cognitivas: a memória, a imaginação, a percepção e os raciocínios, uma vez que a hipermídia e os hipertextos possuem características não lineares e possibilitam várias formas de interação.
Além disso, ver o resultado de seu trabalho na tela do computador ou impresso, por mais simples que possa parecer, fortalece no aluno a confiança em suas capacidades, valoriza seu esforço, eleva sua auto-estima.

Carmen Luiza Barzotto e Liliane Silva
Multiplicadoras do NTE Caçador

[1] Uma forma de publicar arquivos de áudio na Internet, geralmente em MP3.
[2] Espécie de diários na Internet.
[3] Espaço de publicação colaborativa.

4 comentários:

Vanessa Rodrigues disse...

Olá Luiz,

Excelente post! Estou um pouco sumida devido a correria do mestrado, mas quando estou conectada não deixo de visitar o blog e o site Portal da Educação.
Aproveito para deixar o link de uma video-aula sobre a rede social Ning que eu criei para o meu trabalho final de uma disciplina da pós.
Essa redesocial é uma outra ferramenta muito util para a formação de comunidades de aprendizagem.
http://www.web2noensino.blogspot.com/


abraços,
Vanessa

Luiz N.Vieira disse...

Adorei sua visita..Continue sempre oferecendo oportunidades, pricipalmente fortalecendo nosas redes de comunicação!
Abraços e volte sempre...!
Luiz

Vanessa Rodrigues disse...

Oi Luiz!!

Eu postei no moodle da disciplina essa informação do programa que eu utilizei para a criação da video-aula. Vou acrescentar mais algumas informações para postar no meu blog.

abraços,
Vanessa

Luiz N.Vieira disse...

Olá Vanessa!
Parabéns pela iniciativa da vídeo-aula: Descrição visual de uma ferramenta a mais no processo de esino e aprendizagem. Gostaria se possível, vc descrevesse também, quais os intrumentos (programas) de criação deste (vídeo. Uma exclente postagem lá no informativo Cultura na Rede da SED/SC oq achas????
culturanarede@sed.sc.gov.br
Um forte abraço
Luiz