21 janeiro 2008

A discussão nos bastidores ....

laptops
Positivo, que quer receber cerca de US$ 360 por cada laptop popular, afirma que computador a US$ 100 "não é realidade"
Folha Online de Segunda-feira, 21 de janeiro de 2008
Vejam só a discussão nos bastidores ....
Empresa que venceu --mas ainda não levou-- a primeira fase do pregão eletrônico para fornecimento de laptops populares do MEC (Ministério da Educação), a Positivo Informática afirmou nesta quarta-feira (16) que a fabricação de um computador portátil por US$ 100 "não é realidade".
O pregão, que começou no dia 18 de dezembro do ano passado, foi suspenso porque o menor valor oferecido, apresentado pela Positivo, foi "muito superior ao orçado".
Em comunicado, a empresa afirmou que, "infelizmente, existem vários fatores que hoje inviabilizam a concepção de um produto de qualidade e que atenda às necessidades mínimas dos estudantes por esse valor [US$ 100]. E pior, estabeleceu-se esse preço como verdade absoluta, quando nem mesmo o seu idealizador consegue realizar o que prometeu".
A crítica se refere ao laptop XO, desenvolvido pela ONG OLPC (Um Laptop por Criança, na sigla em inglês), que se tornou referência ao afirmar que poderia vender laptops a US$ 100 (R$ 177). Mas, depois, reconheceu que o produto deve beirar mesmo os US$ 200 (R$ 354). A OLPC também participou do pregão do MEC.
Pregão
A Positivo se ofereceu para receber R$ 98,180 milhões pelos 150 mil computadores educacionais que compõem o projeto UCA (Um Computador por Aluno). Com isso, o preço por unidade sairia R$ 654 (cerca de US$ 360), valor bastante acima do que o governo federal estava esperando.
Desde então, o governo federal está tentando reduzir o preço apresentado e mantém o leilão suspenso. A assessoria de imprensa do MEC informou que o ministério não vai se pronunciar sobre o assunto enquanto o leilão estiver em andamento.
O governo também não informa porque o pregão está suspenso ou quando deve ser retomado. De acordo com a assessoria, isso pode ocorrer "a qualquer momento".
"Estamos aguardando chamado do governo para sentar e acertar essa negociação", disse César Aymoré, diretor de marketing da Positivo Informática, à Folha Online. Segundo ele, a empresa está determinada a "ter esse projeto com a marca Positivo" e que pode, inclusive, reduzir o preço dos aparelhos.
"Nós entendemos que o parceiro que estiver com o governo nesse projeto piloto vai ter uma vantagem competitiva nos próximos lotes que eventualmente forem pedidos", afirma o executivo. Ele não disse, entretanto, de quanto seria essa redução.
Ao menos oito empresas participaram do pregão. Finalizada a compra, os laptops Pregão
A Positivo se ofereceu para receber R$ 98,180 milhões pelos 150 mil computadores educacionais que compõem o projeto UCA (Um Computador por Aluno). Com isso, o preço por unidade sairia R$ 654 (cerca de US$ 360), valor bastante acima do que o governo federal estava esperando.
Desde então, o governo federal está tentando reduzir o preço apresentado e mantém o leilão suspenso. A assessoria de imprensa do MEC informou que o ministério não vai se pronunciar sobre o assunto enquanto o leilão estiver em andamento.
O governo também não informa porque o pregão está suspenso ou quando deve ser retomado. De acordo com a assessoria, isso pode ocorrer "a qualquer momento".
"Estamos aguardando chamado do governo para sentar e acertar essa negociação", disse César Aymoré, diretor de marketing da Positivo Informática, à Folha Online. Segundo ele, a empresa está determinada a "ter esse projeto com a marca Positivo" e que pode, inclusive, reduzir o preço dos aparelhos.
"Nós entendemos que o parceiro que estiver com o governo nesse projeto piloto vai ter uma vantagem competitiva nos próximos lotes que eventualmente forem pedidos", afirma o executivo. Ele não disse, entretanto, de quanto seria essa redução.
Ao menos oito empresas participaram do pregão. Finalizada a compra, os laptops.
FELIPE MAIA da Folha Online

2 comentários:

Professor Daniel disse...

Olá Luiz!
Obrigado pela visita!
Fique à vontade para indicar o Carbono 14.
Um abraço, Daniel.

Luiz N.Vieira disse...

Olá Daniel!
Obrigdom pela gentileza!
Estarei mais vezes presente!
Abraços
Luiz