04 julho 2012

"O baiano não nasce, estreia”.

FOTO: LUIZ NAPOLEÃO VIEIRA

O Deus sol como sinal, abre as cortinas iluminando o palco do espetáculo, encenado a cada canto em movimento. Contagiado pela sua identidade que mantém viva a riqueza de sua história. Esta é minha cidade! Já dizia Jorge Amado. ”Em todas as muitas que andei, eu a revi num detalhe de beleza. Nenhuma assim, tão densa e oleosa. Nenhuma assim para viver”. Conhecida também como o berço das mais típicas manifestações culturais populares, como a culinária, a música, e em praticamente todas as artes.
4 Cantos “Brasil Pandeiro” [1] um vídeo dirigido por Betão Aguiar e produzido musicalmente por  Betão Aguiar e Chico Salem, uma preciosa obra vale a pena conferir aqui no Cultura na rede. Brasil Pandeiro" é um samba-exaltação composto por Assis Valente, onde o autor baiano exalta o samba e o povo brasileiro. Junto a "Recenseamento", havia sido composta especialmente para Carmem Miranda, então recém-chegada dos Estados Unidos em 1940, que gravou aquela mas, sobre "Brasil Pandeiro", soltou: "Assis, isso não presta. Você ficou borocoxô." Valente ficou magoado, principalmente porque a canção adquiriu grande reputação tardia sob a regravação dos Anjos do Inferno. Anos mais tarde, foi popularizada e regravada pelos Novos Baianos em 1972 no álbum Acabou Chorare, sob a sugestão do mentor do grupo João Gilberto, mas aí Valente já havia falecido.
[1] "Brasil Pandeiro" é quase um hino compatível à "Aquarela do Brasil" que, inclusive, possui um motivo rítmico do acompanhamento repetido na canção de Valente, com intenção de imitar o tamborim, e mostra que a escolha do pandeiro como instrumento enquanto adjetivo da nação eleva a batucada ao patamar de valor cultural relevante, pertencente ao domínio dos personagens do mundo do samba.


4 Cantos "Brasil Pandeiro" from Zapipele Filmes on Vimeo.
 Brasil Pandeiro 
Os Novos Baianos

Chegou a hora dessa gente bronzeada mostrar seu valor
Eu fui à Penha, fui pedir ao Padroeiro para me ajudar
Salve o Morro do Vintém, Pendura a saia eu quero ver
Eu quero ver o tio Sam tocar pandeiro para o mundo sambar

O Tio Sam está querendo conhecer a nossa batucada
Anda dizendo que o molho da baiana melhorou seu prato
Vai entrar no cuzcuz, acarajé e abará
Na Casa Branca já dançou a batucada de ioiô, iaiá

Brasil, esquentai vossos pandeiros
Iluminai os terreiros que nós queremos sambar!

Há quem sambe diferente noutras terras, noutra gente
Num batuque de matar
Batucada, reunir nossos valores

Pastorinhas e cantores
Expressão que não tem par, ó meu Brasil

Brasil, esquentai vossos pandeiros
Iluminai os terreiros que nós queremos sambar!

Brasil esquentai vossos pandeiros
Iluminai os terreiros que nós queremos sambar!

Ô, ô, sambar.
Ô, ô, sambar...
 

14 comentários:

Suzana Camargo disse...

Adorei!!!Muito bonito!

Luiz N. Vieira disse...

Suzana!
Esta postagem mostra a magia e encanto da Bahia! A batida dos tambores mostram a força de suas raizes. Adorei!
Abraços
Luiz

NTE Jaraguá do Sul disse...

Luíz,

Vc foi muito feliz nessa postagem. Adorei, coloquei o fone, fechei os olhos e curti cada voz, cada batuque, cada instrumento nesse hino.

Aproveitarei em aberturas de curso do Salto aqui em Jaraguá.

Um abração...

Juraci/NTE/Jaraguá do Sul

Luiz N.Vieira disse...

Juraci!
Na minha recente passagem pelo Nordeste, fui inspirado nesta postagem!
Sentir de perto a essência deste povo é algo inexplicável!
Fico muito feliz pelas palavras e saber que irás socializar no curso.
Abraços
Luiz

Elis Zampieri disse...

Luiz, te encaminhei um email na semana passada. Aguardo resposta.
Abraço.

Luiz N. Vieira disse...

Elis!
Que bom sua presença por aqui!
Quanto ao e-mail que me enviaste, já encaminhei retorno.
Abraços
Luiz

Cristiane disse...

Luiz, muito obrigada pela visita no blog....adoro a sua presença.
Quanto aos Objetos de Aprendizagens, gosto muito do RIVED - Rede Internacional Virtual de Educação, uma pena saber que não teve continuidade.

Alessandra Pedro disse...

Prezado(a),

Gostariamos de solicitar que seja divulgado em seu blog informações sobre a 4ª Olímpiada Nacional em História do Brasil, um projeto voltado aos professores e alunos de todo o Brasil.

4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil

O Museu Exploratório de Ciências – Unicamp recebe a partir do dia 01/06/2012, as inscrições para a 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB). Poderão participar estudantes regularmente matriculados no 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e demais séries do Ensino Médio, de escolas públicas e privadas de todo o Brasil, incluindo alunos do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). Para orientar a equipe, composta por três estudantes, é obrigatória a participação de um professor de história.
O formulário de inscrição e o boleto para pagamento estarão disponíveis no site do Museu Exploratório de Ciências de 01 de junho até 10 de agosto. A taxa de inscrição é de 21 reais para as equipes de escolas públicas e 45 reais para as equipes das escolas particulares. O valor da inscrição corresponde à inscrição de todos os membros da equipe (incluindo o professor-orientador).
Em 2012, O Museu Exploratório de Ciências custeará, para participarem da final, as passagens de avião das 27 equipes mais bem colocadas em cada estado da Federação (escolas públicas ou particulares) e mais 10 equipes de escolas públicas com a maior pontuação, sendo uma por região do país, e cinco escolas públicas com mais alta pontuação em todo o Brasil, independente de sua região. Após a final da Olimpíada, os professores responsáveis por essas equipes são convidados a permanecer na Unicamp para realizar capacitação de uma semana, com custos de hospedagem cobertos também pelo Museu.
A ONHB premiará escolas, alunos e professores, com medalhas de ouro (60), prata (100) e bronze (140) e certificados de participação para todos os inscritos e também para as escolas.
A 4ª Olimpíada Nacional em História do Brasil é uma iniciativa do Museu Exploratório de Ciências – Unicamp. O evento é patrocinado pelo CNPq e tem o apoio da Rede Globo de Televisão e da Revista de História da Biblioteca Nacional. A última edição, realizada em 2011, inscreveu mais de 65 mil participantes e reuniu cerca de duas mil pessoas na final presencial, realizada na Unicamp, nos dias 15 e 16 de outubro.
A ONHB é organizada pela equipe do Museu Exploratório de Ciências e as provas são concebidas e elaboradas por historiadores, professores e pós graduandos de História da Unicamp. Como proposta, os participantes têm a oportunidade de trabalhar com temas fundamentais da história nacional e de conhecer de perto as práticas e metodologias utilizadas pelos historiadores.

Calendário da 4ª ONHB
Inscrições e pagamento dos boletos: de 01/06/2012 a 10/08/2012.
Primeira fase: inicia no dia 20/08/2012 e finaliza no dia 25/08/2012.
Segunda fase: inicia no dia 27/08/2012 e finaliza no dia 01/09/2012.
Terceira fase: inicia no dia 03/09/2012 e finaliza no dia 08/09/2012.
Quarta fase: inicia no dia 10/09/2012 e finaliza no dia 15/09/2012.
Quinta fase: inicia no dia 17/09/2012 e finaliza no dia 22/09/2012.
Grande Final Presencial: Prova: 20/10/2012
Cerimônia de Premiação: 21/10/2012

Inscrições no site: www.mc.unicamp.br


Atenciosamente
Alessandra Pedro
Coordenadora Associada Olimpíada Nacional em História do Brasil
Museu Exploratório de Ciências
Caixa Postal 6025
UNIVERSIDADE ESTADUAL D E CAMPINAS (UNICAMP)
Cidade Universitária Zeferino Vaz
13083-970 - Campinas – SP
Brasil

Luiz N. Vieira disse...

Oi Cristiane!
Faço sempre umas visitas pelos Blogs e não poderia ser diferente. Suas postagens sempre bem pontuadas. Parabéns; Hã... Também gosto da sua presença por aqui.
Abraços
Luiz

Luiz N. Vieira disse...

Olá Alessandra!
Importante utilizar meios de divulgação deste Olimpíada Nacional em História do Brasil Vou dar uma olhada no site.
Abraços Luiz

silvioafonso disse...

.



Luiz,
TEMPESTADE DE AMOR é uma
doce maneira de falar de sexo.
No Bar do Escritor eu descrevo
um tipo assediado por quem traz
consigo a beleza e o poder da
sedução.

Conto com você na segunda-
feira, 23,
como em todos os 23
de cada mês.

Deixa lá um alô, um salve e se
se não for pedir muito, deixe
um abraço.

http://bardoescritor.blogspot.com

silvioafonso







.

Luiz N. Vieira disse...

Olá Silvio!
Valeu pela dica. Vou estar presente no bar do Escritor.
Luiz

Heloisa disse...

Parabéns Luiz!!! Você soube captar os encantos e magias da Bahia... Para perceber uma cidade não basta olhá-la, é preciso escutá-la, é preciso senti-la... Amei!!!

Luiz N.Vieira disse...

Heloisa!
Não poderia ser diferente! Foi mágico e com isso percebeu-se em cada canto, expressões contagiando e contemplando um grande cenário energizado abençoado por Deus! Feliz por ter tido essa oportunidade.
Abraços
Luiz